quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Óculos escuros

As pessoas estranham.
Quando uso óculos escuros à noite.
As pessoas riem.
Quando uso óculos escuros em meio à tempestade.
Mas ninguém percebe no meu íntimo.
O quão sofro.
O tanto que deveria chorar!
Encontro nas lentes escuras.
Um labirinto para meu marasmo.
Um bloqueio para minha tristeza.
Que não pode transbordar.
E atingir quem amo.
Os óculos escuros me protegem.
Escondo-me dos olhos julgadores.
Dos olhos sofredores.
Sinto-me preparado para olhar.
Fitar os vorazes olhos do acaso.
Contenho minha maldade.
Enalteço minhas fraquezas.
Perco o olho no olho.
Importante para a intensidade das relações.
Mas assim, me sinto um pouco menos estranho.
Nem tanto monstro.

Mais humano!




4 comentários:

  1. QUEM NÃO TEM COLÍRIO, USA ÓCULOS ESCUROS.

    ResponderExcluir
  2. qual o nome do autor dessa crônica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joyce, este texto, assim como os demais, é de minha autoria, Rian Lopes 😊

      Excluir